"QUE MEUS SEGUIDORES SEJAM POUCOS E SECRETOS. ELES GOVERNARÃO OS MUITOS E CONHECIDOS."

segunda-feira, 21 de maio de 2018

RESENHA SITE WORLD OF METAL

http://worldofmetalmag.com/lord-blasphemate-lucifer-prometheus-sun-in-aries-000-equinox-review/

terça-feira, 3 de abril de 2018

https://www.facebook.com/notes/brasil-metal-hist%C3%B3ria/resenha-cd-lord-blasphemate-lucifer-prometheus-sun-in-aries-0-0-0-equinox/2150968934928267/


RESENHA (CD): LORD BLASPHEMATE - ‘LUCIFER PROMETHEUS SUN IN ARIES 0° 0’ 0” - EQUINOX’

LORD BLASPHEMATE
Lucifer Prometheus Sun in Aries o° o’ o” - Equinox
Heavy Metal Rock – Nac.
Por Leandro Nogueira Coppi
Com quase três décadas de carreira empunhando a bandeira do Metal Extremo nacional o grupo Lord Blasphemate, capitaneado pelo fundador Hellhammer (guitarra), chega agora ao seu quarto ‘full lenght’, “Lucifer Prometheus Sun in Aries o° o’ o” – Equinox”, quatro anos após lançar o álbum anterior, “Ophisophia”. E a integridade sonora da banda potiguar, que é completada por Nyarlathotep (vocal) e Znameni Diabolus (baixo, ex-Sanctifier), se mantém intacta, ainda sendo forjada por um Black Metal old school e ao mesmo tempo de atmosfera densa e refinada. O Lord Blasphemate preservou também a tradição de nomear grande parte de suas músicas, que estão mais extensas do que nunca, com títulos longos e interessantes.
E por falar em tradição, faixas como a que dá nome ao álbum, “Heptarchia Mystica – The Enochians Slaves Angelicae” e “Le Messe Noir – Le Psychodrame Original” mostram que referências de Heavy Metal Tradicional caem bem para o som do grupo. Já a extensa “The Paroketh Veil 0 the Sun of Tipharet” se destaca pelo clima épico, enquanto que “In Astral Journey Through of Kingdom of the Quliphots”, ao longo de quinze minutos e contando com a voz agradável da convidada Jaque Moraes, e também a curta “Draco Estelar Ophidian Ignea” (que é praticamente uma balada), proporcionam uma viagem inenarrável de tão belas e sublimes. O mesmo pode ser dito em relação a derradeira versão instrumental e orquestrada para “Heptarquia Mystica – The Enochians Slaves Angelicae”.
Além da mencionada Jaque Moraes, outros convidados aparecem no álbum, casos de Johnny Rodrigues (Behatred, Infested Blood, Metômato, Ravanes, Anomalom, Avalon Symphony, Endless Solitude), que se incumbiu de gravar todas as baterias, e também de Paulo Santiago (Kataphero, Saigo Ni, Gladivis Belli, Lacryma Christi, Symetria, Twilight Fire), que além de cuidar da mixagem e da masterização, gravou samples, orquestração, guitarra solo e vozes adicionais. E algo que contribuiu positivamente para a estética desse novo álbum do Lord Blasphemate foi a belíssima arte gráfica do respeitado Alcides Burn (vocal das bandas Burn in Pain, Inner Demons Rise, Next Pain e Subinfected e artista das capas de Decomposed God, Disgrace and Terror, Evocati, Executer, Havok, Headhunter D.C., Malefactor e Queiron), que elucida bem a temática em torno do conceito de liberdade e a relação das figuras de Prometheus e Lúcifer. “Lucifer Prometheus Sun in Aries o° o’ o” – Equinox” é uma obra que enriquece não apenas a discografia do Lord Blasphemate, como a biblioteca sonora do Metal Extremo nacional.

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

RESENHA CANGAÇO ROCK RÁDIO

RESENHA CANGAÇO ROCK RÁDIO



http://www.cangacoradiorock.com.br/2018/01/lord-blasphemate-lucifer-prometheus.html

LORD BLASPHEMATE - “LUCIFER PROMETHEUS” (NATAL/RN) (ÁLBUM) (NACIONAL - 2017) (HEAVY METAL ROCK)



O que dizer de uma banda formada à quase 30 anos, que tá sempre produzindo e sempre se manteve fiel à sonoridade? Esse é o Lord Blasphemate. A horda oriunda de Natal/RN, lançou em 2017 o quarto álbum oficial, intitulado “Lucifer Prometheus”,  e com ele mais uma vez todo aquele clima épico que já virou marca da banda, mesmo que ao longo desses anos tenham ocorridas diversas mudança na formação. A banda continua inspirada, e a sonoridade desse novo full se mostra bem madura, simples e direta, ou seja, o black metal tradicional que todos já conhecem.

O disco inicia já inicia direto, sem intro, e com os riffs simples a lá heavy metal de “Lucifer Prometheus Sun in Aries 0°0’0″ – Equinox”, esse som tem uma pegada simples, mas com algumas mudanças de andamento a medida que avança. Já a longa “Heptarchia Mystica – The Enochians Slaves Angelicae” começa agressiva e vai alternando com bases leves, a presença atmosférica do teclado dá um toque sombrio, esse som é longo e dispõem de ótimos arranjos. “The Paroketh Veil 0 The Sun of Tipharet” é misteriosa e carregada de clima, melodias sinistras e cheia de arranjos. A curta e bela “Draco Estelar Ophidian Ignea” o destaque vai para os vocais que variam bastante e tornaram esse som surpreendente. E ainda destaco “In Astral Journey Through of Kingdom of the Quliphots”, o que se ouve é uma riqueza imensa de arranjos, em seus 15 minutos a canção é lenta, quase arrastada e com uma boa melodia, atmosfera densa e o encaixe de vocais femininos, literalmente uma viagem astral. Ao todo o disco traz 08 faixas, onde todas merecem atenção.

Mais uma vez o Lord Blasphemate se destacou em meio a tantos lançamentos em 2017, esse sem dúvida é um dos melhores trabalhos lançados esse ano. Tudo tá perfeito: produção impecável (como deveria ser, pois é preciso destacar tudo o que a banda propõe sonoramente), a magnitude das composições, a belíssima arte de capa feita pelo renomado artista pernambucano Alcides Burn... Enfim, é um disco que não pode faltar na coleção de quem aprecia um metal extremo bem feito. Mais um grande lançamento da Heavy Metal Rock.

Músicas:
1. Lucifer Prometheus Sun in Aries 0°0’0″ - Equinox                    
2. Heptarchia Mystica - The Enochians Slaves Angelicae               
3. The Magician Hierophant of Hadit in Equinox               
4. The Paroketh Veil 0 The Sun of Tipharet            
5. Draco Estelar Ophidian Ignea                  
6. In Astral Journey Through of Kingdom of the Quliphots                      
7. Le Messe Noir - Le Psychodrame Original                      
8. Heptarquia Mystica - The Enochians Slaves Angelicae (orchestral version)


Integrantes:
Nyarlathotep (vocal)
Hellhammer (guitarra)
Znameni (baixo)

LUCIFER-PROMETHEUS GANHA MAIS UMA NOTA 10,0 PELO SITE RIOMETALPRESS.

LUCIFER-PROMETHEUS GANHA MAIS UMA NOTA 10,0 PELO SITE RIOMETALPRESS.
Lord Blasphemate: “Lucifer Prometheus – Sun In Aries 0º 0′ 0″ Equinox”
Publicado: 18/01/2018 por Pedro Mello em News, Uncategorized
Tags:Lord Blasphemate, News, Resenhas, Resenhas CD's 0
cid_6E5705A1A764466691B8893A66AE30D7@WiltonPC-600x600.jpg
Enviado pela Heavy Metal Rock, nossa mais nova parceira, recebemos esta semana o álbum “Lucifer Prometheus – Sun In Aries 0º 0′ 0″ Equinox”, da Lord Blasphemate. Mais uma promissora banda do Nordeste brasileiro.
“Lucifer Prometheus…” é o quarto trabalho da banda e traz um Black Metal bem trabalhado, sem soar maçante ou enjoativo. O trabalho é primoroso, e os responsáveis por esta bela obra são os músicos Znameni (Baixo), Hellhammer (Guitarras) e Nyarlathotep (Vocais).
O trabalho foi lançado no modelo digipack e traz na capa, brilhante por sinal, arte de Alcides Burn, representando bem o conceito do título do álbum, uma co-relação entre os mitos de Lúcifer e Prometheus, assim como, a conceitualização da liberdade em suas histórias.
No campo da música, são 8 pérolas que totalizam 62 minutos de duração. A mistura de peso e riffs melódicos por parte das guitarras são animais, em alguns momentos podemos perceber até algumas nuances do que poderíamos chamar de “progressivo”.
O registro é pesado e por vezes complexo, os destaques ficam para ‘Heptarchia Mystica – The Enochians Slaves Angelicae’, que ainda ganha uma belíssima versão orquestrada ao fim do álbum, a cadenciada ‘The Magician Hierophant of Hadit in Equinox’ e a balada intimista, se podemos chamar assim, ‘Draco Estelar Ophidian Ignea’.
Neste trabalho, o Lord Blasphemate, deixa claro para os ouvintes, que é um grande nome do Metal Extremo brasileiro, não devendo nada a nomes como Behemoth, Satyricon ou Rotting Christ. Black Metal refinado e muito bem feito, como poucos. Altamente recomendado. Nota: 10.
Faixas:
1 – Lucifer Prometheus Sun in Aries 0°0’0″ – Equinox
2 – Heptarchia Mystica – The Enochians Slaves Angelicae
3 – The Magician Hierophant of Hadit in Equinox
4 – The Paroketh Veil 0 The Sun of Tipharet
5 – Draco Estelar Ophidian Ignea
6 – In Astral Journey Through of Kingdom of the Quliphots
7 – Le Messe Noir – Le Psychodrame Original
8 – Heptarquia Mystica – The Enochians Slaves Angelicae (Orchestral Version)

terça-feira, 24 de outubro de 2017

COMENTÁRIO DO AKKELDAMA ZINE

LORD BLASPHEMATE (Brasil) ‘’Lucifer Prometheus - Sun in Aries 0º 0´´ 0` - Equinox’’ CD 2017 (Heavy Metal Rock Records)
Por: Tiago Siqueira - AKKELDAMA ZINE
Uma banda que possui 25 anos de estrada e continua fiel aos seus atributos e propósitos originais, não obstante a evolução natural é algo raro a se comemorar no underground brasileiro! O Lord Blasphemate é uma dessas bandas agraciadas com a maturidade acompanhada da fidelidade a sua arte! 
Para coroar esse 1/4 de século Hellhammer, a mente criativa por trás da banda lançou esse verdadeiro clássico do Metal brasileiro nos dias atuais! O álbum é um tratado Thelêmico dividido em 8 composições em homenagem ao Arquétipo Luciferiano, sob a ótica da Lei de Thelema, assunto o qual Hellhammer é um alto iniciado e domina com maestria!
Musicalmente percebe-se que houve um apuro imenso em relação ao processo de criação e composição, com o álbum dando aquela impressão de ser uma obra conceitual. A obra em si se sobressai e muito em relação ao álbum ‘’Ophiosophia’’ de 2012. Temos aqui um Black Metal com muitas melodias, peso, influências orquestrais e aqueles típicos riffs que remetem a sonoridade do Black Metal grego dos anos 90, marca registrada da música do Lord Blasphemate, que por si só já é autêntica e independente artisticamente falando! Gravação e produção muito bem cuidadas!
É o trabalho mais burilado e lapidado da banda até então! Agradará em cheio aos fãs antigos e conquistará uma nova leva de seguidores!
A cópia que adquiri foi a digipack. Que senhora arte contida na apresentação! Coisa de primeiro mundo!!! Acompanha encarte com letras e imagens herméticas de tirar o fôlego! Um dos maiores lançamentos nacionais da última década!

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

RESENHA BLOG THE METAL VOX

LORD BLASPHEMATE – LUCIFER PROMETHEUS (Heavy Metal Rock – 2017)


Logo de cara a primeira impressão foi marcante no que tange a arte gráfica do quatro álbum da banda Lord Blasphemate; digipack com três abas e uma concepção artística primorosa do veterano e talentoso designer gráfico Alcides Burn (parceiro você mais uma vez realiza uma grande obra, não é a toa que o atual logo do meu selo e portal foi obra de sua mente criativa). E “casando” perfeitamente todo o conceito lírico ora abordado pela banda, o qual foca na mitologia grega do titã Prometeu – eis o motivo do título, o qual ainda traz a figura do anjo decaído mais famoso da história, Lúcifer.
Musicalmente a banda dá um show à parte, Black Metal bem na escola grega, guardando certa similaridade com os primórdios do Rottting Christ, contudo não tire conclusões apressadas achando que a o LB é um seguidor ou mera cópia, longe disto – bastante. Uma referência apenas, a qual é no meu entender bem singular e com uma riqueza musical que me deixou ainda mais atônito e a sensação de orgulho de ter um material de primeira grandeza em mãos, cena brasileira cacete. Uma densa áurea soturna e mórbida com melodias na medida certa, nem mais nem menos e que tem resultado sonoro excelente.
Produção impecável, sem pompas, crua e pesada e com tudo soando redondo. Tornando ainda mais prazeroso a audição do track list de cabo a rabo, o qual me deu a impressão de ter sido construído para traçar um gradiente sonoro, o qual nos puxa e foca nossa atenção sem nos atrapalhar na contemplação da obra TODA! Não sei se estou abstraindo demais, mas foi esta impressão que me causou, se não foi intencional paciência mas me trouxe esta sensação.
Parabéns Lord Blasphemate, inteligentes, talentosos e que com honra, honestidade traçam uma trajetória sólida e compatível com seus ideais. Este old banger convida os metalheads para apreciar e ter este precioso material em vossos acervos. Item mui valioso!!!
Por: Jaime “TheMetalVox” Amorim

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

"DIABOLUS IN VERSUS" THE NEW BOOK BY HELLHAMMER T.M.T MAGUS VIº


APRESENTAÇÃO DO NOVO LIVRO "DIABOLU IN VERSUS"
Maldito, infame, opositor, rival... Assim Ele foi descrito ao longo da História. Tingido e retratado pelos mais diversos elementos bestiais, sua imagem serviu aos mais variados propósitos: Foi o maior amigo da Igreja e quem mais contribuiu para o crescimento de sua religião de “amor pelo temor”. Foi o bode expiatório dos libertinos e rebeldes. O álibi de assassinos e trânsfugas e o arquétipo junguiano da psicologia obscura dos homens. Uma exteriorização da bestialidade humana, que depositando em Sua imagem a justificativa de seus atos animalescos, anestesia assim, sua consciência da responsabilidade pelos seus próprios atos.
Ao perpassar dos séculos, sua imagem serviu de esteio aos que insurgiam-se contra a opressão teocrática do papado romano. Dos que enxergavam em sua desobediência, a voz muda da rebeldia ao absolutismo monárquico dos séculos XVI-XVII, representado na máxima miltoniana do “Non Serviam”. Aos burgueses e aristocratas, que por trás de suas máscaras corníferas, transigiam a moral vigente, num grito de liberdade, que só o anteparo da imagem diabólica possibilitaria a transgressão. Aos beatniks e hippies dos anos 50-60, que redescobriram na magia negra a busca pelo autoconhecimento e a imersão em seu subconsciente, para revelar as novas posturas comportamentais da era aquariana. Até aos músicos de Black Metal, que não obstante o desvirtuamento de alguns a vil adoração, serviu de base para o aprofundamento filosófico, como busca de respostas as angústias existenciais.
“Diabolu in Versus”, apresenta uma coletânea de poemas, cujo o tema não poderia ser outro, senão o Diabo e que suas idiossincrasias perpassam todo o universo histórico, político, social e religioso descrito acima.
Hellhammer T.M.T Magus VI